Anti-Nelson Rodrigues no Teatro Nair Bello em curta temporada

De sexta a domingo, um sucesso do repertório do Grupo TAPA: a peça Anti-Nelson Rodrigues, penúltima obra do dramaturgo, escrita em 1973. Com direção de Eduardo Tolentino de Araújo, o espetáculo é um resumo das melhores e mais saborosas situações rodrigueanas. Entre humor e o drama, as personagens transitam à deriva em busca de amor e redenção…

A peça conta a história de Oswaldinho (Augusto Zacchi), um jovem rico e mimado pela mãe, Tereza (Clara Carvalho), e desprezado pelo pai, Gastão (Eduardo Semerjian). Inescrupuloso, ladrão e mulherengo, se torna dono de uma das fábricas do pai e decide conquistar uma funcionária recém-contratada, a jovem e incorruptível Joice (Carol Cashie). Acostumado a ter tudo o que quer, Oswaldinho tenta comprar Joice que, por sua vez, sonha com um amor verdadeiro desde menina e não se deixa levar pelo dinheiro. Fazem parte ainda da trama, Leleco (Cesar Baccan), amigo de infância de Oswaldinho, Salim Simão (Oswaldo Mendes), pai de Joice, e Helenice (Penha Pietra’s), empregada de Salim.

Anti-Nelson Rodrigues, encenada pela primeira vez em 1974, com direção de Paulo Cesar Pereio, foi uma encomenda da atriz Neila Tavares, que há muito pedia a Nelson que lhe dedicasse um texto original.

“Nelson Rodrigues é o maior dramaturgo brasileiro, sempre passível de leituras e releituras. Anti-Nelson é como um epílogo de sua obra: irônica e autoparódica. Em suas peças ele sempre riu de nossa sociedade, mas nesta, Nelson passa a rir também de si mesmo, dos próprios conceitos. Ele ampliou sua descrença e seu desencanto – um sentimento algo semelhante ao que temos hoje diante do mundo em que vivemos”, explica o diretor Eduardo Tolentino de Araújo.

O cenário de Marcela Donato, não realista, é formado basicamente por cadeiras e espelhos. Os figurinos, também de Donato, têm leve tom crítico e fazem alusão aos anos 1970. A trilha sonora de Tolentino utiliza inserções do tango À Meia Luz (A Media Luz), de Carlos Gardel (1890-1935).

Aos 35 anos de fundação – e há 30 radicado em São Paulo –, o Grupo TAPA acumulou mais de 80 prêmios e construiu uma sólida história na cena teatral. Esta é a quarta peça de Nelson Rodrigues encenada pelo grupo, que montou Viúva, Porém Honesta, nos anos 1980; Vestido de Noiva, nos anos 90, e A Serpente, em 2000.

Ficha técnica:

Texto: Nelson Rodrigues
Direção: Eduardo Tolentino de Araújo
Elenco / Personagem:
Augusto Zacchi / Oswaldinho
Carlos Palma, Gastão, pai de Oswaldinho
Carol Cashie / Joice
Clara Carvalho / Tereza, mãe de Oswaldinho
Cesar Baccan / Leleco, amigo de Oswaldinho
Oswaldo Mendes / Salim Simão, pai de Joice
Penha Pietra’s / Helenice, empregada de Salim
Figurinos e Cenário: Marcela Donato
Iluminação: Nelson Ferreira
Trilha Sonora: Eduardo Tolentino de Araújo
Fotos: Ronaldo Gutierrez
Produção Geral: Cesar Baccan
Realização: Grupo TAPA

Anti-Nelson Rodrigues
Teatro Nair Bello
Rua Frei Caneca, 569, 3º Piso
Shopping Frei Caneca
Telefone: (11) 3472-2414
Capacidade: 240 lugares
Classificação indicativa: 14 anos
Duração: 90 minutos
Data: 25 de março a 01 de maio
Sexas às 21h30
Sábados às 21h
Domingos às 19h
Ingressos:
R$50,00 (inteira) e R$25,00 (meia entrada).Sextas e Domingos
R$60,00 (inteira) e R$30,00 (meia entrada).Sábados

(Desconto de 50% para Estudantes,
Maiores de 60 anos, Aposentados)
Vendas pela Internet: www.ingresso.com
ou Central de Vendas: (11) 4003-2320
(aceita todos os cartões de crédito)
Horários de funcionamento da bilheteria
de sexta a domingo das 13h30 às 19h30.
Aceita todos os cartões de crédito e débito. Não aceita cheques.
Formas de Pagamento: Amex, Aura, Diners, Dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron.
Estacionamento: No próprio Shopping
Acesso para pessoas com deficiência

Fotos: Anderson Capuano

 

1 comentário em “Anti-Nelson Rodrigues no Teatro Nair Bello em curta temporadaAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *